Os riscos do uso de colírios sem prescrição médica

É muito comum vermos situações em que as pessoas sentem os olhos irritados e vão logo concluindo que a maneira de resolver é com uso de colírios. E pode até ser que, na grande maioria dos casos, elas não estejam erradas. Mas o grande equívoco das pessoas é acreditar que para usar um colírio nos olhos não é necessário passar por uma consulta oftalmológica.

Afinal, quando o paciente sente algum incômodo no olho, o certo a se fazer é procurar um médico capacitado a avaliar o seu caso e direcionar ao tratamento correto. Só assim ele saberá se o seu caso necessita, de fato, do uso de colírios e te indicará qual o modelo usar, a quantidade correta, por quantos dias, etc.

Caso contrário, através da automedicação, o paciente pode escolher uma opção na qual não tem a ver com o seu caso, poderá usar quantidades exageradas e ainda poderá fazer o tratamento por um prazo muito curto ou muito extenso, colocando a sua saúde ocular e até mesmo sua saúde geral em risco.

Mas… Quais são esses riscos? Será que o uso de colírios sem prescrição médica é realmente arriscado? Falaremos sobre isso nesse post. Vem com a gente!

A utilização de colírios indevidamente causa graves efeitos colaterais

O uso de colírios indevidamente, durante muito tempo, pode ocasionar em graves efeitos colaterais, como aumento da pressão intraocular, piora do ressecamento dos olhos e aceleração do surgimento da catarata e do glaucoma.

O compartilhamento do colírio pode causar contaminações

As pessoas que utilizam esses produtos sem a prescrição médica, muito provavelmente não têm o cuidado de utilizar individualmente. Ou seja, se porventura tiver um colírio aberto em casa, elas pegam e usam sem saber quem usou, quando usou e, em alguns casos, nem olham a data de validade.

Essas situações são muito perigosas, pois o colírio é remédio e não deve ser compartilhado e muito menos utilizado após vencido. Caso contrário, os riscos de contaminações são altíssimos, causando graves consequências para a saúde ocular do indivíduo.

Existem diversos colírios e só o médico saberá indicar o tipo específico para o seu problema

Se você pensa que o ressecamento dos seus olhos pode ser tratado por qualquer colírio, é aí que você se engana! Existe uma infinidade de opções disponíveis no mercado e somente o médico, depois de te avaliar, saberá te dizer qual é o mais indicado para tratar o seu caso.

Veja quais são as classificações dos colírios:

  • Lubrificantes: indicados em caso de baixa lubrificação dos olhos, ardor e irritação;
  • Antibióticos: indicados para o tratamento e prevenção de infecções e inflamações causadas por bactérias;
  • Antialérgicos: indicados para o tratamento de alergias oculares;
  • Anti-inflamatórios: indicados durante o pós-cirúrgico ou para processos inflamatórios dos olhos;
  • Anestésicos:  indicado para uso restrito no ambiente hospitalar.

Bom, agora que você já sabe quais são os principais riscos da utilização dos colírios sem a prescrição médica, tome cuidado e elimine este hábito da sua rotina.

A partir de agora, sempre que sentir qualquer incômodo nos olhos, procure um médico oftalmologista de confiança para analisar o seu caso e te indicar o tratamento correto. E lembre-se: a sua saúde ocular é importante. Cuide-se!

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Comentários

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular