conjuntivite

Conjuntivite: sintomas, causas e tratamentos

A variação de temperatura e as mudanças de estação são ambientes favoráveis para o desenvolvimento de algumas doenças. No verão, por exemplo, costumam ocorrer surtos de conjuntivite, um problema ocular que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva.

Assim, para evitar o desconforto dos sintomas e tratar o quadro o mais breve possível, você precisa conhecer mais sobre a doença. Então, leia este post e encontre as informações mais importantes sobre o tema.

O que é conjuntivite?

Trata-se de uma doença ocular provocada pela infecção e/ou inflamação da conjuntiva, uma membrana fina e transparente que reveste a esclera (parte branca do globo ocular) e a região interna das pálpebras superior e inferior.

Ainda, essa membrana contém diversos vasos sanguíneos. Quando há uma inflamação, esses vasos aumentam de volume, provocando a vermelhidão nos olhos. Da mesma forma, a parte interna das pálpebras muda de coloração, ficando avermelhada.

Na maioria dos casos, a conjuntivite permanece por até 15 dias. Porém, esse tempo varia de acordo com o agente causador da inflamação. Além disso, pode surgir em apenas um dos olhos ou em ambos.

Ademais, essa doença ocular é classificada de diferentes maneiras. Seguindo o critério de evolução, pode ser aguda, subaguda e crônica. No que diz respeito à secreção produzida, pode ser serosa, mucosa, purulenta e mucopurulenta.

Quais as causas?

A conjuntivite também é dividida de acordo com a causa, sendo cada uma provocada por um agente diferente. De modo geral, essa inflamação pode surgir em decorrência da ação dos seguintes agentes:

  • viral: provocada pelo vírus Adenovírus, sendo o tipo mais comum contagioso da doença. Geralmente, o contágio ocorre pelo contato com superfícies contaminadas com secreções oculares. Além disso, tende a surgir em um olho e depois transmite-se para o outro;
  • bacteriana: pode ser provocada por cinco diferentes tipos de bactérias, sendo também transmitida pelo contato com secreções contaminadas. Na maioria dos casos, o contágio se dá pelo contato com roupas ou toalhas de pessoas com a inflamação;
  • alérgica: ocorre quando os olhos entram em contato com algum alérgeno presente no ar, tais como, pelo de animal, mofo, pólen e poeira. Embora não seja transmissível, costuma provocar mais desconforto que os outros tipos.

Além dessas causas mais comuns, a conjuntivite também pode surgir em decorrência da ação de fungos, protozoários, agentes químicos ou por radiação. No entanto, essas são formas menos frequentes.

Quais os sintomas mais comuns?

Apesar de variar de acordo com o tipo da doença, alguns sintomas costumam estar presentes em todos os pacientes. O sinal mais evidente é a vermelhidão em um ou nos dois olhos.

Ademais, em estágio inicial, os pacientes podem apresentar lacrimejamento excessivo e hipersensibilidade à luz (fotofobia). Usualmente, há o inchaço das pálpebras, prurido e dor ocular. Outro sintoma característico é a presença de secreção.

Como é o tratamento?

O tratamento desta doença ocular depende do agente causador. Quando provocada por vírus, a inflamação tende a desaparecer espontaneamente, sem a necessidade de tratamento. Se necessário, o médico pode prescrever colírios de corticóides e lágrimas artificiais.

Por outro lado, o tipo bacteriana exige tratamento, que é feito com o uso de colírios antibióticos prescritos pelo oftalmologista. Para os casos alérgicos, o primeiro passo é identificar a causa da reação. Com isso, o médico poderá prescrever colírios específicos para o caso.

Portanto, mesmo com todo o incômodo que provoca, a conjuntivite é uma doença ocular de fácil resolução. Contudo, sempre busque orientação de um oftalmologista para o tratamento, evitando a automedicação.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Comentários

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular