dermatocalaze

Dermatocálase é um problema estético ou reparador?

Você já ouviu falar em dermatocálase? Esse é o nome dado ao excesso de pele ou à protrusão de gordura nas pálpebras. Com o envelhecimento natural, há um aumento na frouxidão dos tecidos, dando um aspecto cansado aos olhos. A maioria dos casos ocorre a partir dos 60 anos de idade, mas também é comum em pacientes entre 40 e 50 anos. Entretanto, há uma dúvida recorrente entre os pacientes: essa condição afeta apenas a estética? Neste artigo, você irá conhecer os possíveis sintomas dessa alteração, assim como o tratamento adequado para ela. Confira!

Possíveis causas da dermatocálase:

  • envelhecimento natural;
  • redução da elasticidade da pele e da produção de colágeno;
  • doenças congênitas;
  • tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • problemas de tireoide;
  • predisposição genética.

A dermatocálase tem sintomas?

Em alguns casos, os pacientes se queixam apenas da questão estética. A dermatocálase deixa os olhos com aparência cansada, as pálpebras, pesadas, e provoca rugas na região. Porém, além da estética, esse pode ser um problema funcional. Os sintomas mais comuns são: entropia, ectropia, blefarite, dermatite e irritação. O aspecto cansado gerado pela dermatocálase pode se acentuar no final do dia ou após uma noite maldormida, como uma olheira. Se a flacidez da pele se acentuar muito, isso pode dificultar a abertura da pálpebra, prejudicando a visão periférica do paciente.

Como corrigir?

O procedimento médico indicado para a correção da condição em análise é a blefaroplastia. Além de solucionar o problema da visão periférica, a cirurgia elimina a flacidez, dando aparência mais jovial à região. A cirurgia pode ser realizada tanto nas pálpebras inferiores, quanto nas superiores.

Como é feita a blefaroplastia?

Antes da cirurgia, é necessário que o paciente faça exames clínicos e oftalmológicos.

A cirurgia é realizada com anestesia local e tem duração de 50 a 90 minutos. O cirurgião realiza o corte e a cauterização da região onde há excesso de pele. O paciente deve ficar internado por pelo menos 6 horas após o procedimento. Antes da cirurgia, é necessário que o paciente esteja em jejum de 8 horas. Recomenda-se, ainda, não fazer uso de medicações anticoagulantes e suspender o tabagismo, para uma melhor cicatrização após a operação.

A cicatriz é discreta, pois localiza-se na dobra da pálpebra. O paciente deverá seguir as orientações médicas quanto ao uso de remédios após a cirurgia. O repouso é necessário durante 1 semana após a operação.

Na 1ª semana, o paciente já poderá notar os resultados da cirurgia, mesmo com o inchaço. O resultado definitivo é visto após cerca de 2 meses. É importante que o paciente mantenha alguns cuidados, como evitar a prática de exercícios pesados e o tabagismo. É indispensável o uso de óculos de sol e de protetor solar com fator de proteção acima de 30. O resultado definitivo será a melhora da expressão facial e a redução das sensações de peso nas pálpebras. Dentre os benefícios da intervenção, também está a ampliação do campo visual.

Lembre-se: a blefaroplastia deve ser realizada por um cirurgião plástico ou um oftalmologista especializado em plástica ocular. Realize uma avaliação e alinhe as suas expectativas de melhoria da dermatocálase junto ao profissional.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Comentários

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular