O risco do uso de colírios sem prescrição médica

A exposição constante às telas de smartphones, computadores e tablets, e à poluição ambiental, traz diversos problemas à saúde ocular. Diante do desconforto, cria-se o hábito do uso de colírios sem prescrição médica.

No entanto, essa prática pode trazer vários riscos para os olhos. Quer saber quais? Então, continue a leitura do post. A seguir, explicaremos mais sobre essas consequências.

Para que servem os colírios?

Os colírios são produtos destinados ao tratamento de diversos tipos de problemas oculares, como, por exemplo, desconforto ocular, ressecamento, alergias, conjuntivite e outras inflamações.

Ainda, os colírios são formas farmacêuticas líquidas para aplicação nos olhos. Porém, existem diferentes tipos dessa substância, sendo cada uma direcionada para uma condição específica. Entre os principais estão:

  • lubrificantes: para tratamento da síndrome do olho seco, ardor, irritação, exposição à poeira e aos poluentes, radiação ultravioleta, dispositivos eletrônicos e cosméticos. Este tipo pode ser encontrado nas farmácias e não exigem receita médica;
  • antibióticos: são colírios utilizados para tratar infecções causadas por bactérias. Geralmente, estão associados ao uso de anti-inflamatórios para reduzir os sintomas provocados pela infecção;
  • anti-inflamatórios: são indicados, principalmente, no pós-operatório de cirurgias nos olhos ou para o tratamento de conjuntivite viral, crônica ou ceratite;
  • antialérgicos: esses colírios são recomendados para aliviar a coceira, irritação, lacrimejamento e inchaço, sinais provocados pela conjuntivite alérgica;
  • anestésicos: são utilizados para alívio da dor e da sensibilidade ocular, possibilitando a realização de procedimentos cirúrgicos oftalmológicos;
  • vasoconstritores (descongestionantes): são colírios que descongestionam e lubrificam os olhos, sendo indicados para o alívio de irritações leves causadas por resfriados, rinites, poeiras, fumaças e uso de lentes de contato;
  • colírios para glaucoma: são destinados a redução da pressão sanguínea nos olhos e contribuem para a prevenção da cegueira causada pelo glaucoma.

Os riscos do uso de colírios sem prescrição médica

Os colírios são produtos eficientes para o alívio do desconforto provocado por problemas oculares. No entanto, isso não significa que deve ser usado indiscriminadamente e, principalmente, sem a devida prescrição médica.

Isso porque não se trata de um medicamento inofensivo e pode causar diversos prejuízos à visão, inclusive favorecer o desenvolvimento de doenças graves. Além disso, é um item de uso individual a fim de evitar contaminações.

Ainda, os perigos do uso de colírios sem prescrição médica também variam de acordo com o tipo utilizado. No caso dos antibióticos, a aplicação prolongada eleva as chances de mutações bacterianas, dificultando o tratamento e tornando o paciente mais suscetível a infecções na córnea.

Já os colírios anti-inflamatórios, quando usados indevidamente, aumentam a pressão interna do olho, contribuindo para o desenvolvimento da catarata e obstrução do trabeculado. Os anestésicos podem causar danos irreversíveis à córnea.

Ademais, os colírios descongestionantes aplicados sem recomendação médica podem mascarar a origem da vermelhidão e irritação dos olhos, além de gerar alterações cardíacas e pressão arterial elevada.

Por fim, os produtos lubrificantes possuem conservantes que podem levar à conjuntivite alérgica. Portanto, com a leitura deste post, você conheceu todos os motivos que contraindicam o uso de colírios sem prescrição médica.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Comentários

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular