síndrome do olho seco

Síndrome do olho seco: sintomas, causas e tratamento

A ausência de lágrimas em quantidade suficiente para manter os olhos lubrificados ocasiona um problema chamado de síndrome do olho seco. Embora possa ser unilateral, o mais comum é que afete os dois olhos.

Você já ouviu falar nessa condição? Quer conhecer os sintomas, causas e tratamentos para ela? Então, não deixe de ler este post. A seguir, abordaremos os principais tópicos a respeito do tema.

O que é a síndrome do olho seco?

Trata-se de uma doença de grande incidência na população e que se caracteriza pela incapacidade das lágrimas em fornecer a lubrificação adequada para os olhos. Com isso, o paciente passa a manifestar diversos sintomas que afetam sua qualidade de vida.

Ainda, a síndrome é mais comum em locais de clima seco. Além disso, é mais frequente em homens e mulheres acima de 50 anos. Quando não tratada, a doença pode até levar à cegueira.

No entanto, a secura dos olhos nem sempre está relacionada com a síndrome ou com outra doença ocular. Em determinadas situações, a poluição ambiental, a exposição excessiva ao sol ou ao ar condicionado podem facilitar a evaporação das lágrimas.

Ademais, as lágrimas são produzidas pelas glândulas lacrimais. Quando piscamos, elas se espalham, formam o filme lacrimal e deixam a superfície corneana mais brilhante e transparente.

Esse filme lacrimal é composto pelas camadas lipídica, aquosa e mucina. A lipídica é responsável por evitar a evaporação da lágrima. Já a mucina traz a adesividade do filme à córnea. A aquosa é mais espessa e constituída de água. Assim, quando os olhos são considerados secos, uma ou mais dessas camadas podem estar ausentes, ou deficientes.

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais característicos da síndrome do olho seco são a sensação de olho seco e o lacrimejamento excessivo. Este último ocorre por ação dos olhos, que tentam eliminar o problema na superfície ocular. Além desses, os pacientes também podem apresentar os seguintes sinais:

  • sensação de areia ou corpo estranho nos olhos;
  • ardência e vermelhidão;
  • visão embaçada ou turva;
  • hipersensibilidade à luz.

Quais são as causas?

A síndrome do olho seco é uma condição crônica que ocorre em função da baixa produção de lágrimas ou pela deficiência de algum dos seus componentes. Em alguns casos, está relacionada com doenças sistêmicas ou autoimunes.

Ademais, o problema também pode ser causado  por alterações nas pálpebras. Além disso, os seguintes fatores de risco podem favorecer o seu desenvolvimento: ausência de vitamina A, ter mais de 50 anos, utilizar lentes de contato, uso de anticoncepcionais ou de medicamentos para acne, antidepressivos e diuréticos.

Como é o tratamento?

O tratamento da síndrome pode variar de acordo com a gravidade e a origem da condição. Entre as principais possibilidades de tratamento, podemos citar o uso de colírios lubrificantes e/ou de anti-inflamatórios e implante de plug lacrimal para manter a qualidade necessária da lágrima.

Outrossim, é possível adotar algumas medidas de prevenção, como, por exemplo, manter-se hidratado, evitar consumo de bebidas alcoólicas ou com cafeína, não fumar e piscar o olho sempre que utilizar o computador por longos períodos.

Portanto, a síndrome do olho seco é uma condição de fácil resolução. Para evitar as complicações do quadro, mantenha uma rotina de visitas ao oftalmologista. Assim, você terá o diagnóstico e tratamento precoce.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Comentários

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular