conjuntivite

Conjuntivite: por que ocorre e quais os sintomas

Conjuntivite: por que ocorre e quais os sintomas

Conjuntivite é a inflamação da mucosa que protege a parte branca do olho, chamada de conjuntiva. Geralmente, provoca bastante desconforto, ardência e aquela sensação de areia nos olhos.

Apesar de não haver dados oficiais quanto ao número de casos por ano, sabe que esse é um problema muito comum em crianças, principalmente na fase escolar. Isso porque na escolinha, o contato direto com outras crianças e a baixa imunidade dos pequenos, facilita a transmissão.

Os surtos de conjuntivite também são mais frequentes no calor. A baixa umidade, o suor e as altas temperaturas do verão formam condições favoráveis para o aparecimento da doença. A água da piscina e do mar, por exemplo, podem transmiti-la, caso estejam contaminadas.

Se tratada adequadamente, não costuma ter consequências graves ao paciente. Entretanto, se não for procurado ajuda logo que os sintomas aparecem, há risco da doença se espalhar para as pessoas próximas, e assim, pode surgir uma epidemia.

Sintomas da conjuntivite

Quando a doença ocorre, os olhos ficam inchados e avermelhados, tornando a identificação mais fácil. Os sintomas permanecem por cerca de uma a duas semanas. O atendimento médico é essencial para alívio e controle.

Esses sintomas mencionados, ainda podem vir acompanhado de:

  • Olhos lacrimejantes;
  • Secreção,
  • Coceira;
  • Sensibilidade à claridade, fotofobia;
  • Febre e mal estar,
  • Vista embaçada.

Por que a conjuntivite ocorre

As causas da doença incluem, em geral:

  • vírus;
  • bacterianas;
  • alergias;
  • lesões químicas;
  • objetos estranhos no olho;
  • uso de lentes de contato por período prolongado;
  • canal lacrimal bloqueado, quando ocorre em bebês.

Essa inflamação é classificada em 3 tipos distintos, que variam conforme a sua origem. Dessa forma, a causa do problema é o que irá definir o tipo de conjuntivite e o tratamento mais indicado. Assim, a divisão dos tipos é estabelecida da seguinte maneira: conjuntivite infecciosa, conjuntivite alérgica ou a tóxica.

Infecciosa

As do tipo infecciosas se subdividem em 3 subgrupos, que variam de acordo com o agente causador. São eles: vírus, bactérias e fungos. A transmissão desses casos se dá pelo contato direto com alguém contaminado. Por isso, ocorrem quando a pessoa permanece por muito tempo no mesmo lugar que alguém infectado ou por encostar em superfície contaminada.

A viral é a mais frequente entre elas. O adenovírus é o agente causador, facilmente propagado pela secreção, tosse e espirros.  É por essa razão que o portador deve ficar em casa até o tratamento fazer efeito. Da mesma forma, a bacteriana também pode ser disseminada pela secreção do doente, porém, representa um quadro mais agressivo que a viral, com manifestação de secreção amarelada com presença de pus. A conjuntivite por fungos é a mais rara.

Alérgica

A conjuntivite alérgica ocorre devido à uma resposta exagerada do organismo à algum agente causador de irritação, chamado de alérgeno. Via de regra, nesses casos, os alérgenos são os ácaros e pólen. Essa categoria não é contagiosa e verifica-se apenas em pessoas com quadros de alergia.

Tóxica

A do tipo tóxica deriva do contato direto dos olhos com substâncias químicas, encontradas em xampus, produtos de limpeza, inseticidas, etc.

Embora essa categoria de conjuntivite seja considerada a mais atípica, também configura o tipo mais grave, pois, uma vez que não tratada adequadamente, pode trazer riscos para a visão do paciente.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular in Todos
3 tipos de conjuntivite

3 tipos de conjuntivite

A conjuntivite é uma doença caracterizada pela inflamação na conjuntiva, a membrana que cobre a área branca dos olhos. Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como os vírus e bactérias, assim como alérgenos e materiais químicos, que entram em contato direto com os olhos.

Esse tipo de inflamação tem 3 classificações. Elas se diferem de acordo com aquilo que deu origem à doença. Isso quer dizer que quando é ocasionada por vírus, bactérias e fungos, recebe o nome de infecciosa. Se for decorrente de substâncias químicas, chama-se conjuntivite tóxica e quando a causa são os alérgenos, conjuntivite alérgica.

Assim sendo, produzi esse material para explicar melhor sobre esses tipos de conjuntivite e como tratá-las. Acompanhe o artigo e entenda mais.

Conjuntivite Alérgica

Esse tipo da doença não é contagioso. Ele ocorre apenas quando a pessoa alérgica entra em contato com a causa da alergia, que muitas vezes é representado pelo pólen, giz e ácaros. Nesses casos, a inflamação é uma resposta do próprio organismo para combater o corpo estranho que ele entende como ameaça.

A coceira nos olhos é o principal sintoma e pode ser amenizada com colírios anti-histamínicos, indicados para aliviar as manifestações da alergia. Normalmente, não há graves complicações e a doença é de fácil tratamento. Entretanto, é necessário ir ao especialista para o diagnóstico adequado.

Conjuntivite infecciosa

Essa categoria se divide em outras 4, são elas:

Bacteriana

A conjuntivite bacteriana é um tipo mais agressivo dessa inflamação. É provocada por bactérias que contaminam os olhos, provenientes de diversas fontes de contágio. O simples contato com uma superfície infectada ou com a secreção ocular do portador da doença é passível de transmitir a infecção.

Os principais sintomas são secreção ocular amarelada, com ou sem a presença de pus, com alta possibilidade de afetar os dois olhos de uma só vez.

Da mesma forma que em outras infecções por bactéria, a administração de antibióticos se faz fundamental. Assim, o tratamento é à base colírios antibióticos ou pomadas oftálmicas. O quadro dura em média 2 semanas, a depender da gravidade da inflamação.

Viral

A viral é o tipo mais comum da infecção. Geralmente, é a grande causadora das epidemias de conjuntivite, pois é altamente contagiosa. O vírus é disseminado no ar e pode ser propagado por espirros e tosse da pessoa infectada. Esse quadro pode ser associado à outras infecções virais comuns, como a gripe, o resfriado ou até o sarampo.

Na conjuntivite viral, os sintomas são vermelhidão, inchaço e  secreção aquosa. Também pode se espalhar facilmente para o outro olho. O tratamento é realizado apenas para controlar os sintomas, uma vez que antibióticos não tem efeito contra os vírus. Ela dura um curto período de tempo, algo em torno de uma a duas semanas. Após o pico da doença, os sintomas começam a desaparecer sozinhos.

Conjuntivite gonocócica

A conjuntivite gonocócica é resultado de doenças sexualmente transmissíveis como Clamídia e Gonorreia. Nessa situação, os bebês são contaminados no parto, se a mãe estiver infectada.

Quando há suspeita de infecção por DST, a gestante deve ser acompanhada pelo especialista para ser diagnosticada e tratada antes de dar à luz.

Conjuntivite Fúngica

Essa é muito, muito rara. Ocorre quando a pessoa passa por algum trauma, em que pedaços de madeira contaminada por fungos, atingem os olhos.

Conjuntivite tóxica

A conjuntivite tóxica é decorrente de substâncias químicas que entram em contato direto com os olhos, causando uma irritação na conjuntiva. Dentre as substâncias, é possível citar fumaça, perfumes, materiais de limpeza, queima de óleo diesel, entre outras. É importante procurar o oftalmologista ao menor sinal de irritação, para que não haja complicações para os olhos.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho como oftalmologistas em Belo Horizonte!

Posted by DUO Oftalmologia e Plástica Ocular in Todos